Atendimento: Das 08h às 17h

info@ficase.gov.cv | (+238) 2621545 / 5162462 / 5883668

Campanha de Desparasitação das crianças do pré-escolar e do ensino básico decorre de 30 de maio à 03 de junho de 2022

Criado em 26 de Maio de 2022

Responsive image

 

Campanha de Desparasitação das crianças do pré-escolar e do ensino básico decorre de 30 de maio à 03 de junho de 2022
O Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Educação, FICASE, UNICEF e OMS inicia na próxima segunda-feira, 30 de maio até sexta-feira do dia 03 de junho de 2022, a Campanha de Desparasitação às crianças do pré-escolar (1 a 5 anos) e do ensino
básico obrigatório (6 a 12 anos), com o objetivo de reduzir a carga da infeção pelos parasitas intestinais fazendo com que as crianças cresçam mais saudáveis.
A equipa dos profissionais de saúde em cada Delegacia de Saúde irá se deslocar às escolas do ensino básico e aos jardins de infância para fazer a distribuição dos comprimidos às crianças contando com o apoio dos professores e monitores. As campanhas de desparasitação começaram desde 2007 e são feitas anualmente, abrangendo crianças dos jardins de infância e alunos do ensino básico obrigatório de 1 a 12 anos de idade.
Os helmintos são parasitas que podem ser transmitidos através da ingestão de ovos presentes em alimentos ou água contaminada, através de mãos sujas, ou ainda através de penetração das larvas na pele das pessoas. As crianças que tem a doença helmíntica podem apresentar alguns sintomas tais como, dor abdominal, diarreia, perda de apetite, desnutrição, atraso de crescimento, anemia, etc.
De acordo com os dados do inquérito sobre a prevalência dos parasitas intestinais realizado em 2012, realizado nas escolas tendo como público-alvo, criança com idade compreendida entre os seis a doze anos, revelou uma prevalência de helmintos de 21% em Cabo Verde.
Refira-se que em todo o mundo há cerca de um bilhão e meio de pessoas infetadas com helmintos transmitidos pelo solo e metade delas são crianças. As doenças helmínticas podem ser prevenidas e combatidas através de algumas medidas de saúde pública comprovadas, de baixo custo e efetivas, destacando-se o saneamento básico, a higiene do meio, a educação para a saúde e as medidas antiparasitárias. 
Segundo recomendações da Organização Mundial da Saúde, nas populações onde crianças em idade escolares apresentam parasitas intestinais, para além de outras estratégias de intervenção, deve-se também fazer a desparasitação de modo a diminuir a gravidade e a mortalidade por certas doenças como a diarreia.
Fonte: Ministério da Saúde

Campanha de Desparasitação das crianças do pré-escolar e do ensino básico decorre de 30 de maio à 03 de junho de 2022

O Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Educação, FICASE, UNICEF e OMS inicia na próxima segunda-feira, 30 de maio até sexta-feira do dia 03 de junho de 2022, a Campanha de Desparasitação às crianças do pré-escolar (1 a 5 anos) e do ensino básico obrigatório (6 a 12 anos), com o objetivo de reduzir a carga da infeção pelos parasitas intestinais fazendo com que as crianças cresçam mais saudáveis.

A equipa dos profissionais de saúde em cada Delegacia de Saúde irá se deslocar às escolas do ensino básico e aos jardins de infância para fazer a distribuição dos comprimidos às crianças contando com o apoio dos professores e monitores. As campanhas de desparasitação começaram desde 2007 e são feitas anualmente, abrangendo crianças dos jardins de infância e alunos do ensino básico obrigatório de 1 a 12 anos de idade.

Os helmintos são parasitas que podem ser transmitidos através da ingestão de ovos presentes em alimentos ou água contaminada, através de mãos sujas, ou ainda através de penetração das larvas na pele das pessoas. As crianças que tem a doença helmíntica podem apresentar alguns sintomas tais como, dor abdominal, diarreia, perda de apetite, desnutrição, atraso de crescimento, anemia, etc.

De acordo com os dados do inquérito sobre a prevalência dos parasitas intestinais realizado em 2012, realizado nas escolas tendo como público-alvo, criança com idade compreendida entre os seis a doze anos, revelou uma prevalência de helmintos de 21% em Cabo Verde.

Refira-se que em todo o mundo há cerca de um bilhão e meio de pessoas infetadas com helmintos transmitidos pelo solo e metade delas são crianças. As doenças helmínticas podem ser prevenidas e combatidas através de algumas medidas de saúde pública comprovadas, de baixo custo e efetivas, destacando-se o saneamento básico, a higiene do meio, a educação para a saúde e as medidas antiparasitárias. 

Segundo recomendações da Organização Mundial da Saúde, nas populações onde crianças em idade escolares apresentam parasitas intestinais, para além de outras estratégias de intervenção, deve-se também fazer a desparasitação de modo a diminuir a gravidade e a mortalidade por certas doenças como a diarreia.

Fonte: Ministério da Saúde