Ato de Entrega Ofical do Donativo de Arroz

República Popular da China doou 1.191 toneladas de arroz a Cabo Verde
 
No quadro do acordo estabelecido entre a República Popular da China e a República de Cabo Verde, em forma de ajuda alimentar, a China doou a Cabo Verde 1.191 toneladas de arroz parabolizado, no valor total de 142 mil contos cabo-verdianos: O ato público teve lugar no dia 08/12/17, no Armazém Central da FICASE, sito em Achada Grande Frente, na presença do Embaixador da República Popular da China em Cabo Verde, Sr. Du Xiaocong, PCA da FICASE, Sr. Albertino Fernandes, DGPOG ME, Sr. José Manuel Marques, Diretora Geral da Inclusão Social, Sra. Mónica Furtado, Representante MNE, Sr. José Correia, Administradora da ARFA, Sra. Patrícia Alfama, Administradora da FICASE, Sra. Cristina Pina, Diretor do Serviço de Alimentação Escolar, Sr. João Semedo, entre outros colaboradores da FICASE e convidados.
 
 
Embaixador da China em Cabo Verde - Du Xiaocong
 
Após o ato de entrega do donativo a Cabo Verde, Du Xiaocong disse que como embaixador da China em Cabo Verde, trabalha e vive aqui, pelo que presencia o mau ano agrícola. Entretanto, segundo declarações deste diplomata, “o processo de ajuda alimentar deste ano começou muito antes de se saber, definitivamente que o país ia ter um mau ano agrícola. Ainda assim, ficamos felizes por ver que esta doação veio em boa hora para ajudar a minimizar as dificuldades”. Dai que considera que é mais significativa que a ajuda chegue nas horas de dificuldade do que em horas normais. Frisou ainda que concorda com a forma de distribuição da ajuda alimentar deste ano. O diplomata chinês ressaltou ainda que: “todas as despesas desta doação até a chegada a Cabo Verde foi da inteira responsabilidade da China, pelo que considera que esta prática revela em si o espírito humanitário da República Popular da China para com Cabo Verde, algo que na sua ótica deve ser continuado”.
 
 
Albertino Fernandes, PCA FICASE
 
Para o PCA da FICASE, Albertino Fernandes, esta ajuda alimentar veio em boa hora e que certamente vai ajudar a reforçar o Programa Nacional de Alimentação Escolar, que é suportado pelo Orçamento do Estado. Porém, conforme esclareceu: “a FICASE irá ficar com apenas 20% do donativo e a outra parte irá ser gerida e distribuída pelo Ministério da Família e Inclusão Social às famílias com mais dificuldades, hospitais, serviços prisionais, etc”. Este responsável lembrou que no próximo ano letivo (2018/2019), com o aumento da escolaridade obrigatória para o 8º Ano (oitavo ano), consequentemente a FICASE vai ter que garantir a alimentação escolar para estes alunos. “Daí que esta doação vai ser útil no cumprimento dos nossos objetivos, permitindo-nos oferecer uma refeição quente a todos os alunos de todo o país, do primeiro ao oitavo ano de escolaridade”.
 
Ainda em declarações à imprensa, Albertino Fernandes anunciou também que a FICASE já tem assinado contratos com várias instituições nacionais, no sentido de aumentar e enriquecer a ementa escolar. “Pretendemos, a partir do 2º semestre, introduzir frangos e galinhas de carcaças, isto na sequência de um acordo com a SOCIAVE, mas também cereais enriquecido (papa cabecinha) através de um acordo rubricado com a MOAVE, ambos a um preço acessível e suportado pelo Orçamento do Estado.
 
 
DGIS - Mónica Furtado
 
Por seu lado, a Diretora Geral de Inclusão Social Mónica Furtado disse que esse donativo vai permitir reforçar a dieta alimentar de uma população que mesmo antes do mau ano agrícola já tinha dificuldade a nível do acesso a alimentação. Acrescentou que: “este ano, especificamente com esta questão do mau ano agrícola, certamente vai aumentar também esta necessidade. Há mais famílias que vão ter mais necessidade de alimentação, nomeadamente aquelas que dependem da agricultura de sequeiro. Esse apoio vai também servir às próprias instituições que trabalham com crianças, idosos, pessoas com deficiência, e que normalmente na sua atividade fornecem refeições”. Em relação aos beneficiários, esta responsável disse que estão na lista os serviços na área da justiça, associações de solidariedade social que têm sob a sua gestão centros e equipamentos sociais, (centros de acolhimento), estruturas do ICCA e as Câmaras Municipais, que serão facilitadores, no sentido do donativo chegar às pessoas que mais precisam.
 
 
Administradora Executiva ARFA - Patrícia Alfama
 
Em representação da ARFA, Patrícia Alfama, Administradora Executiva, salientou que enquanto entidade responsável pela gestão da Ajuda Alimentar em Cabo Verde, a ARFA vem participando desde o inicio neste processo, juntamente com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Embaixada da China em Cabo Verde. Destacou ainda que esse arroz veio num momento certo a Cabo Verde, dado a situação do mau ano agrícola. Relativamente à distribuição em si, sublinhou que há um despacho ministerial em que há uma equipa multidisciplinar, constituída pela ARFA, MEE, MEFIS e a FICASE, que está a trabalhar nos critérios e beneficiários deste arroz. Finalizou a sua intervenção dizendo que o arroz será distribuído ao Programa Nacional de Alimentação Escolar da FICASE, às famílias mais necessitadas e outras instituições de cariz social, ajudando assim na melhoria da dieta alimentar.
 
De recordar que a República Popular da China doou, no ano passado, 1245 toneladas de arroz a República de Cabo Verde, no quadro de um acordo rubricado entre as partes.
 
 FICASE, ajudamos os que realmente merecem!
 
 
 

China Doa 1.191 Toneladas de Arroz a Cabo Verde

O Governo da Republica Popular da China ofereceu ao Governo de Cabo Verde 1.191 (mil cento e noventa e um) toneladas de arroz, no âmbito das relações de amizade existentes entre os dois países.
 
Este donativo servirá para reforçar o programa de alimentação escolar da FICASE, bem como apoiar as populações a nível nacional afetadas pelo mau ano agrícola. 
 
Assim, na qualidade da entidade indicada para a receção e distribuição do donativo, a FICASE realiza o ato público da entrega do arroz, a ter lugar hoje dia 08 de dezembro de 2017, pelas 15h30mn, no Armazém Central da FICASE, em Achada Grande Frente. 
 
O ato contará com a presença do Embaixador da China em Cabo Verde, dos representantes do Ministério da Educação, Família e Inclusão Social, do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, da ARFA e da FICASE. 
 
 

Fórum Nacional Nacional da Educação

O Ministério da Educação, em conformidade com os princípios da democracia, transparência, abertura, pluralidade de opiniões, participação e responsabilidade dos cidadãos e da sociedade em geral, organizou nos dias 8, 9 e 10 de novembro do corrente ano, um Fórum Nacional de Educação, com vista à implementação do Programa da IX Legislatura nos domínios da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação.
O Programa do IX Legislativo prevê uma educação de excelência, equitativa e inclusiva e um sistema educacional integrado no conceito de economia do conhecimento e num ambiente escolar e universitário com uma cultura de pesquisa, experimentação e inovação, proporcionando à proficiência, ciência e tecnologia da língua de Cabo Verde, um perfil cosmopolita na sua relação com o mundo, valorizando e motivando para a aprendizagem ao longo da vida. O Fórum Nacional de Educação é uma forma de comunicar e promover a consciencialização em relação ao Plano Estratégico de Educação, ao mesmo tempo mobilizar os diversos atores envolvidos no desenvolvimento da educação do país.
 
 
Objectivos
 
Gerais 
•Criar um ambiente de reflexo, e de parceria e compromisso, entre os diferentes intervenientes e parceiros na educação a politica da educação e para a implementação do Plano estratégico nos próximos anos.
•Estabelecer mecanismo de monitoria e acompanhamento do plano
 
Específicos 
•Divulgar as politicas e estratégias principais do Plano Estratégico de Educação para um melhor entendimento e responsabilidade conjunta para a implementação de politicas educativas delineadas pelo Ministério da Educação, no âmbito da nova reforma educativa;
•Refletir sobre as questões principais que mereçam melhor debate/aprofundamento para assegurar a operacionalização das prioridades da política do governo para os próximos anos;
 
Resultados esperados
•R1: partilhadas e consensualizadas com a comunidade educativa e parceiros as orientações prioritárias do Plano Estratégico da Educação.
•R2: apresentadas as recomendações e práticas inovadoras a serem implementadas
 
Estrutura da FNE
Para facilitar o processo de diálogo entre os participantes e os oradores, o fórum será estruturado na base das seguintes metodologias:
 
Sessão VIRTUAL
  Debate e recolha de subsídios via facebook 
 
Sessões Plenárias 
•iniciativas inovadoras, perspetivas pedagógicas que afetam o modo como ensinamos e as metodologias educativas que permitem às instituições responder eficientemente às necessidades dos alunos e melhorar a qualidade da educação.
 
Discussões em Painel
•Apresentação do Plano Estratégico de Educação: Área temática do dia
•Destacar os principais desafios do sistema educativo e as orientações que o plano estratégico prevê para superar esses desafios.
•Apresentadores de cada painel fazerem uma reflexão sobre os conteúdos do Plano Estratégico, pensando na implementação, nos benefícios & desafios, e nas recomendações que acompanham a implementação do Plano da Educação. 
 
Sessões de Grupo
•Três sessões paralelas terão lugar ao mesmo tempo, abordando diferentes temas relacionados com a área temática do dia.
•Durante cada sessão, diferentes apresentadores estarão presentes para discutir questões pertinentes relacionadas com o tema em sua área de especialização.
•Este formato servirá de plataforma para dialogar com os participantes, com o objetivo de visualizar riscos e oferecer recomendações para o processo de implementação do plano estratégico.
 
 
Desdobravel 2015 LEI FINAL small   Desdobravel UNJP 2015 Final small   Factsheet CL CaboVerde portugues   Guia Compras Locais 2015 final small   InfoFICASE N 5 MARCO 2015   Lei Mecenato final